Como foi o meu primeiro contato com a Mediação

Como foi o meu primeiro contato com a Mediação?

Parte II - Como foi o meu primeiro contato com a Mediação?

Sou formada em direito quase 10 anos (sempre gosto de dizer que sou advogada de formação e mediadora por vocação), e dediquei mais da metade desse tempo estudando para concursos públicos, seguindo os passos do meu amado irmão. No final de 2014, já cansada e desmotivada com os concursos, e um pouco antes de resolver seguir outro caminho (que até então eu não imaginava que pudesse encontrar), uma grande amiga comentou comigo que estava fazendo uma Pós-Graduação em Processo Civil e que teria uma aula sobre Mediação de Conflitos (foi a primeira vez que eu ouvi esse tema, confesso, dentro do “contexto judicial”).

Por coincidência (ou não) na mesma semana fui a um jantar com meu irmão e a esposa do amigo dele comentou comigo a respeito de um curso de mediação muito bem conceituado em nossa cidade (na época eu ainda morava em Ribeirão Preto – SP). Lembrei-me da conversa que tive com a minha amiga e ao chegar em casa liguei imediatamente o computador e pesquisei sobre o curso e o instituto (ConversAções).

No dia seguinte liguei para o instituto e para a minha surpresa falei diretamente com uma das donas e professoras do curso, a Marisa Japur. Aquele acolhimento foi a primeira mostra de um outro caminho que iria conhecer e seguir. Na semana seguinte fiz a minha inscrição e aguardei até fevereiro, quando as aulas começaram. Até lá continuei os meus estudos, mas cada dia me sentia mais desmotivada (só que eu não via “vida pós concursos”..).

Recordo-me, também, que no final de semana da primeira aula do curso (que seria no sábado) eu tinha uma prova em Brasília no domingo de manhã, e que, por isso, eu teria que faltar justamente na primeira aula, já que eu tinha comprado a passagem para sexta-feira. Acordei no dia da viagem entristecida porque eu perderia “logo a primeira aula”, falei com a Simone (a amiga que me falou pela primeira vez sobre a mediação e que estava do outro lado do mundo em uma viagem). Conversamos sobre a minha angústia e ela me incentivou a tentar mudar a data e o horário da passagem, já que o curso era sempre aos sábados de manha e à tarde, e eu poderia tentar ir pelo menos de manhã. Foi o que consegui fazer, graças ao apoio incondicional do meu marido (que era meu namorado, na época): mudei a passagem para sábado à tarde e fui à aula minha primeira aula de mediação pela manhã (e prestei o meu último concurso naquele domingo).

Naquela manhã, que assisti minha primeira aula com as queridas Cris e Marisa, tive contato com a minha verdadeira vocação: a mediação de conflitos.

Na próxima semana posto a terceira do texto.


Isabel Dantas, Mediadora de Conflitos e Fundadora do MediAções Brasil


Créditos da imagem: http://thiagovenco.jusbrasil.com.br/artigos/225345777/lei-da-mediacao-regula-outras-formas-consensuais-de-resolucao-de-conflitos

logo