Os desafios e perspectivas de um mediador de conflitos

Os desafios e perspectivas de um mediador de conflitos

Parte I – Como surgiu a ideia do texto.

Na última quarta-feira, 9/8/17, uma seguidora do MediAções Brasil do Instagram (querida Miriam) enviou uma mensagem pedindo que eu falasse um pouco da minha trajetória com a mediação de conflitos. Ela me contou que se formou pouco tempo e pensava que conseguiriatrabalhar rápido com a mediação”, e continuou sua mensagem me descrevendo a sua realidade...

Essa mensagem da Miriam me fez refletir muito a respeito de como eu poderia ajudar uma colega (logo eu que ainda me sinto tão incipiente na área). Sei que estou anos luz atrás de grandes nomes da mediação, mas, mesmo assim, resolvi dividir minhapouca e intensaexperiência nessa área por meio desse texto. 

Apesar de a Lei de Mediação ter entrado em vigor no ano passado no Brasil, muitos mediadores trabalham extrajudicialmente com o instituto muitos anos por aqui (cabendo ressaltar que há muitos anos já são aplicados outros meios de solução de conflitos, como a conciliação, no Poder Judiciário brasileiro).

Recordo-me que escrevi um texto no início do ano sobre a minha (pouca) experiência na mediação empresarial, após concluir a Semana Organizacional de Mediação com instigante mediadora argentina Gabriela Jablkowiski, com a qual vivenciei experiências que me ajudaram a acreditar e consolidar ainda mais meu objetivo profissional.  

Tentarei, então, escrever um pouco sobre como tudo iniciou e como as coisas aconteceram até aqui.

Mas, para não deixar a leitura cansativa, resolvi dividir o texto em 4 partes.. (em breve posto a segunda parte!!).

Isabel Dantas, Mediadora de Conflitos e Fundadora do MediAções Brasil

logo