Se queremos escutar as pessoas de verdade, devemos transcender as palavras

Se queremos escutar as pessoas de verdade, devemos transcender as palavras

Apesar da importância que costumamos atribuir à comunicação verbal, entre 65 e 80% do total da nossa comunicação com as pessoas é realizado por meio de canais não verbais. Para que uma comunicação seja eficaz, o mais adequado é que haja coerência entre o discurso e a expressão não verbal. Nesse sentido, na escuta ativa encontramos um paralelismo: é tão importante escutar quanto fazer a outra pessoa sentir que estamos escutando.

A escuta ativa significa escutar e entender a comunicação a partir do ponto de vista da pessoa que fala.  Nos referimos à habilidade de escutar não apenas o que a pessoa está expressando diretamente, mas também os sentimentos, as ideias ou os pensamentos que estão por trás daquilo que ela está dizendo. Para conseguir entender alguém é preciso certa empatia, ou seja, saber se colocar no lugar da outra pessoa e tentar entender como ela se sente nesse lugar.

A linguagem não verbal afeta a forma como agimos e reagimos, seja em relação às pessoas ou a nós mesmos. Escutar mais além das palavras é entender, compreender ou dar sentido a aquilo que se ouve e aquilo que se vê.  Compreender a pessoa com a qual estamos conversando, em todas as dimensões daquilo que ela quer nos dizer, não significa concordar com tudo o que ela está dizendo, mas escutar com interesse manifesto o que nos diz.


Fonte: https://amenteemaravilhosa.com.br/escuta-ativa-nossas-relacoes/

logo